terça-feira, 7 de novembro de 2017

Nadamente

De nada, por nada, sem nada
Nadei,
Achei que ia morrer
Que nada!
Aqui estou, molhada
Encharcada, mas de pé

E pé ante pé sigo
Passos largos, apressados

Quando eu me for
Daqui à mil anos
Nada levarei
Nada!
Apenas rugas
Cabelos brancos
E alma madura

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Dia 01 do mês 01 do Ano 01

Três e pouco da manhã, meu corpo inteiro dói. A garganta arde! Vem gripe por aí. Talvez seja apenas cansaço. Cansaço físico. Cansaço de um corpo que há dias se desloca de um lado ao outro a procura de novas paragens. Mudança. Casa nova, carro novo, vida nova. Recomeço. Minha cabeça já encontrou a serenidade necessária para reconstruir tudo que foi levado pela tempestade. Zerei uma parte da minha vida. Reconstrução total sem ter direito a indenização.

Preciso descansar e não consigo. Talvez seja apenas insônia. Aproveito e fico vigilante ao sono da pequena: muriçocas atrevidas furam o bloqueio do véu! Mesmo depois do banho quente, ainda não posso dormir. Talvez seja apenas fome. E é. Preciso de um chá. Preciso descansar o corpo para mais uma etapa dessa mudança. Nada foi fácil... Hoje, nada é fácil. Deve ser por isso que meu corpo dói. Mas apesar de tudo, a senhora serenidade não me deixou cair. Estou de pé como sempre estive. É, acho que estou voltando à terra... Acho que já tinha voltado, mas não havia percebido. Hoje, minha pequena completa 4 meses.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Fênix

ADORO esses riscos que me proponho correr na vida! Deve ser por isso que sou atriz... entrar de cabeça em um novo processo, sem saber como vai ser o resultado mas sabendo que a única coisa que quero é ser virada do avesso no processo e chupar o tutano da plateia ao estar em cena. Já fiz isso várias vezes. Manipulo a emoção da plateia a hora que quiser e tenho total controle de tudo! É um poder incrível! Comparo minha vida a um processo em que tenho que mergulhar de cabeça. E já começou o processo de retomar definitivamente o controle total da minha vida. Assumir riscos como sempre fiz. Cansei de comer pelas beiradas. O meio do prato é mais gostoso! Mais uma vez, renasço das cinzas como uma fênix e mais poderosa ainda. 

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Mi maior com quarta

Acordei com essa música ecoando na minha cabeça... adorava tocar a passagem da nota E4 para E no final da música. A mudança de um dedinho na corda, faz toda a diferença, muda todo o sentimento  na melodia. Sempre me arrepiava... 

"De tarde quero descansar
Chegar até a praia e ver
Se o vento ainda está forte
E vai ser bom subir nas pedras
Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando tudo embora

Agora está tão longe
Ver a linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que tenho mais saudade
Quando olhávamos juntos na mesma direção
Aonde está você agora além de aqui dentro de mim?

Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você está comigo o tempo todo
E quando vejo o mar
Existe algo que diz
Que a vida continua e se entregar é uma bobagem

Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos
Lembra que o plano era ficarmos bem

Eieieieiei!
Olha só o que eu achei
Humrum
Cavalos-marinhos

Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando tudo embora"


Vento no Litoral 👈

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Eu, Frodo







Então...
Frodo Bolseiro ainda levava as consequências de ter sido o portador do anel por um grande período. Depois de anos, após ser ferido por uma lâmina Morgul Blade quando foi atacado por um Nazgul, a cicatriz não curou e sempre doía. Ele ficava doente todo ano e ansiava pelo anel. Não seria feliz daquele jeito. Não estava totalmente curado. Precisava descansar. Por ter carregado um fardo muito grande, conquistou o direito de ir para Valinor, a terra dos elfos. Então, ele pegou o último navio que zarparia da terra média para as terras imortais.                                                       
          Frodo cumpriu sua missão na vida.
          Valinor é o "paraíso"...
          Ele fez a passagem...


 Eu sou Frodo Bolseiro.  

 

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Placebo

Vou parar por aqui. Deixarei que as palavras ecoem somente em minha mente. São tantas, tantas, que talvez o melhor seja fechar a vazão. Talvez o acúmulo de ideias tenha entupido a razão. Nada mais sai. Rabisquei uma, cinco, vinte, milhares de vezes durante dias... A repetição se tornou um aviso: isso não serve mais pra nada! Insistir em alimentar apenas o que não mais existe; a vontade de expurgar. Não adianta continuar a tomar o remédio, se o mesmo a doença não vai curar. Viajarei pra outro lugar, outro país, outro mundo e trarei novos relatos de um processo que continuará em aberto.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

T. A. S.

 Já disse que te amo hoje? Sim, várias vezes. E meu amor por você só cresce... e dói te amar. Por vezes te olho e nem acredito que sou mãe, que sou sua mãe, e que você é toda minha. A vida ainda não me mostrou as dificuldades de ser mãe. Me canso, me estresso, perco horas de sono e várias vezes não tenho tempo nem de comer... Mas acho que tive sorte, pois foi e está sendo tudo lindo e suave. Você é linda, apesar de estar a cara do seu pai agora. Não canso de te admirar. Te amo, minha pequena. E nossa aventura continua...