terça-feira, 16 de maio de 2017

De repente...

E de repente, o de repente bate...
Do nada vem e me abate
Com sua mão suave
Um acalanto
Me deixando de canto
Ou no meio de uma amargura
E o que me segura?
A saudade?
A vontade?
Não.
A verdade!
Uma lágrima cai
E me vejo só
Só no mundo
Desamparada
Amargurada
Querendo, lá no fundo
Ser feliz novamente.

sábado, 6 de maio de 2017

Não sei onde estou

Tentando de todas as formas escrever algo pra poder entender a tristeza que se abateu em mim nesses últimos dias... Escrevi várias coisas, apaguei, recomecei e nada faz nexo na minha humilde compreensão. Não sei se o fato de estar tão próximo do puerpério faz os hormônios acenderem certos sentimentos, mas a questão é que estou mais uma vez me sentindo sozinha. Não é ansiedade, não é medo... até encontrei uma certa paz interior e uma serenidade que há tempos não tinha e também tenho uma companhia aqui em casa, pois uma amiga veio morar aqui e ajudar a dividir as despesas. A presença dela diminuiu em muito a solidão que sentia, mas ainda me sinto só. Hoje estou me sentindo só. Queria um abraço, ou um olá, apenas! Como uma pessoa não se importa com outra? Enfim... não sei onde estou ou o que represento nisso tudo. Não sei onde estou. Tá tudo diferente e não estou confortável. Enfim... tô cansada e não vou me alongar nessa conversa!

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Foi culpa da tristeza

E de repente, meu mundo desaba, assim do nada, com a força de mil facadas no peito! E o coração quer entregar o corpo à dor, mas a cabeça não... sábia razão! Com os olhos marejados e garganta apertada, começo um processo de faxina que pouco se faz: lavar sapatos! Jogo todos na máquina e pronto! Todos novos para guiar meus passos... e a tristeza se vai com a água suja. Por um certo tempo funcionou, a tristeza não voltou!

Mas com o avançar da noite, ela volta novamente e com olhos marejados, vou me encaminhando para mais uma faxina não muito cotidiana: limpar uma estante com produtos de higiene pessoal. O acúmulo de coisas vencidas e coisas velhas enchem três sacolas. Três sacolas jogadas fora e a tristeza indo fora também. Alívio! A energia circula e as ideias também. Pra animar, fiz meia panela de brigadeiro. São meia noite e cinquenta e três do dia de hoje e minha faxina externa e interna continua. Depois virá um banho e a redenção e talvez o sono.


segunda-feira, 24 de abril de 2017

Não Re(Conheço)

Fazendo tentativas de voltar a viver uma vida "normal", me permito às vezes sair desse casulo onde me propus ficar. Estar grávida nunca deveria ser uma desculpa para me esconder do mundo, mas acabo usando mesmo como desculpa para justificar outras desculpas! Com a proximidade do oitavo mês de gestação, fica mais e mais difícil se locomover ou se aventurar em algo. Mas é preciso! Depois que a bebê nascer, vai ficar cada vez mais raro socializar. Não serei uma mulher solteira... serei uma mãe solteira! Serei um kit: conquiste a mãe e leve uma filha de brinde.

Percebi que me expor como uma pessoa que está afim de um novo lance amoroso tá complicado! Fico constrangida ao menor interesse alheio, seja de mulher ou de homem. Quando saio, me produzo, me enfeito toda, mas não consigo irradiar nada. Meu olhar é sempre baixo e tímido. Até me interesso, mas não avanço. É como se tivesse me traindo... Acho que desaprendi a paquerar, desaprendi a ser eu. E isso não tem nada haver com a gravidez! Nada!

Virei mais uma chave da minha vida, mudei mais uma vez, me tornei menos do que eu era e cada fato novo vai me tornar menos ainda até eu sumir. Minha confiança foi abalada mais uma vez e apesar de lutar sempre, nunca se volta a ser como era. O que as pessoas vêem como fortalecimento, estou vendo como fraqueza. E é isso! Não tenho como mudar. Sou outra pessoa e não gosto dessa pessoa que me tornei.

Encontrei um certo ponto de equilíbrio, um estado de embriagues que está me fazendo seguir sem fortes emoções. Acho que morri e ainda não percebi. Tudo continua tão perdido, tão sem cor... Mas não é ruim. É estranho e triste.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Minha menina

Ontem te vi mais uma vez, perfeitinha, saudável e linda! Já és o grande amor da minha vida! E que paz sinto perto de ti... Nunca sou de sonhar contigo, mas hoje me viestes mostrar o seu amor. Sonhei que te amamentava pela primeira vez... Foi tão bom! Da mesma forma que sentia medo da possível dor que poderia sentir, mas não havia dor, nenhuma, só havia amor e entrega.

Ontem disse ao seu pai que, apesar de eu ser jovem, posso dizer que já vivi muita coisa... Sendo artista então, nem se fale! De todas as poesias que já passaram na minha boca e pelo meu corpo, de todas as emoções que transbordaram do meu ser e que emocionou pessoas nessas minhas andanças, nenhuma poesia se compara a você! É a coisa mais linda que eu já criei!

Suas coisas estão todas prontas... Agora é só amadurecer e aguardar o grande dia de nos conhecermos.

Transbordo amor!!! Mamãe <3 p="">
                        

sábado, 8 de abril de 2017

Andando devagar... mas andando.

Há uns dias sem pisar por aqui, nessa plataforma virtual...  Muitas coisas aconteceram, alguns objetivos foram vencidos nessa caminhada, outros ainda estão e ficarão no meio do caminho. Mas houveram avanços. Hoje, terminei de lavar todo o enxoval e todas as roupas dela. Como foi cansativo! Mas está tudo pronto! Semana que vem será toda voltada a cuidar da minha saúde. Milhões de exames e acompanhamentos diários para que tudo ocorra bem nessa fase final da gestação. Percebi que tenho que me centrar cada vez mais em mim e nela, apenas em nós! Deixar todo o resto pra lá. E é isso que farei daqui por diante.

Eu não era fofa?
 Algumas pessoas dizem que ela se parecerá comigo. Sempre acho que ela puxará ao pai! Mas repensando, acho que ela será mesmo parecida comigo! Na verdade, até ontem nem pensava nisso, mas hoje me peguei lembrando de fotos minhas quando bebê e se ela puxar a mim, será linda! Vou me apegar a esse sorriso. Contando os dias aqui! #33semanas #Teodora

quinta-feira, 30 de março de 2017

O que será?

Oito horas em jejum! Existe coisa pior pra uma mulher grávida e insone? Comer me dá um certo prazer e me faz esquecer dessa vida maluca que estou vivendo. E me bateu uma angústia agora... Tomei um banho quente e a cada minuto me perguntava por que tudo isso? Acredita que ainda me pergunto? Acredita que ainda minha ficha não caiu? Os dias estão passando tão lentamente que parece ser proposital. Tem coisas que me são estranhas e talvez serão por muito tempo. Aí, chego em casa, percebo a minha solidão e a tristeza bem abate! Talvez chore, mas por enquanto sinto apenas minha cabeça inchar e um cansaço no fundo do juízo. Estou garimpando histórias de amigas que se parecem com a minha. Me lembrei de duas; uma delas muito pesada por sinal, mas que no fim até encontrou seu príncipe encantado, casou, engravidou novamente e hoje está muito bem e feliz! Será que terei meu final feliz?  Será que encontrarei meu príncipe encantado? Qual a reviravolta que minha vida vai dar? Ai, que angústia! O que mais queria era estar totalmente plena... Mas prevejo muita nuvens de tempestades por aí ainda... Me resta ser forte, apenas. 😔